19 de março de 2009

E as palavras dela queimavam
como chumbo quente derramando sobre uma ferida
E deformavam, e corroíam-lhe as córneas e pupilas.
Jurava sobre algo que não era;
sentia ódio, e o despejava gratuitamente por impulso;
suas palavras vinham carregadas de uma maldita aspereza,
com pedaços de seus pensamentos, todos dilacerados enfim.
ela mentia, queimando por dentro.
Suas palavras eram exageradamente cretinas,
e vinham de dentro da alma, rasgavam sua garganta e boca até serem cuspidas pra fora,
mas sua vida não estava com ela disse
sua vida estava próximo do que imaginava,
estava tudo tão errado,
nem um pouco coerente
e as palavras corroíam-lhe a face.

4 commentaires:

Pedro disse...

"estava tudo tão errado,
nem um pouco coerente"

faça ficar certo e coerente então,
vc tem foça suficiente pra isso!
X*

MARCOS disse...

concreto. e dentro dela uma bolha. fissura não exposta. mas está lá. na moldura foi composta. faz parte dela. é dela enquanto não rachar.

Copo sobre a mesa. disse...

Haha. Pois é, frase de momento. Eu sou assim: num instante não consigo viver sem você, mas no instante seguinte nem quero te ver na minha frente.

Bernard disse...

Expressão.

Postar um comentário

Nothin'